quarta-feira, novembro 30, 2011

DIARIAMENTE, PORQUE A VIDA É DIÁRIA…

 
Acordei com o corpo parecido com uma peneira. O adesivo de nicotina, está me embolando, pipocando todo o meu corpo. Ou seja, estou cheia de bolinhas que coçam pra valer.  Não sei bem se foi ele que me deu essa alergia, mas na dúvida, achei por bem não usar, vou consultar a médica depois.
 Estou na terceira semana e os adesivos me serviam como muleta psicológica. Mais de 24 horas sem nicotina... Qualquer não fumante diria: “e dai”? Os fumantes sabem o que estou falando. Ainda mais que eu era fumante compulsiva a mais de trinta e cinco anos.
Dou- me conta de que fumei mais tempo do que sou casada; convivo com meus filhos, alguns anos menos do que convivi com o cigarro. Ou seja: o cigarro foi meu companheiro durante tanto tempo que posso até dizer que me apeguei a sua companhia. 
 
Embora me sinta desconfortável em vários sentidos, sinto-me feliz por saber que não estou infiltrando nicotina em meu sangue, nem indiretamente.  E melhor ainda, não estão em meu organismo, nem as outras quatro mil e tantas substâncias nocivas.
 
Estou embolada, sentindo falta do cigarro, mas com uma certeza de que vou ficar livre e curada desse vicio.
 
Quando a vontade de fumar aperta eu digo a mim mesma: “espera mais um pouco, já aguentou até agora, aguenta mais um pouquinho, calma”... Tipo só por agora eu não vou fumar. Como sou feita de segundos tenho me saído muito bem. E já posso até sentar aqui e conversar como pessoa livre.
 
 Ao menos por esses minutos eu não fumei e passou até a vontade, pois me senti tão forte e corajosa que resolvi até apagar o cigarro da minha ideia...
 
“Por hoje eu não vou fumar”... Tipo alcoólatra mesmo...
Achei tão bom encontrar essa conversa e como me senti liberta! Está havendo uma campanha maravilhosa, no combate ao tabagismo, e eu posso ajudar com esse artigo, sua validade é meu testemunho. Espero que chegue aos amigos que estão começando a parar, ou pensando em parar, quero dizer-lhes que nem é tão difícil assim. Parece assustador, mas se pensarmos como um processo em conta gota, nem é assim tão difícil, basta que decidamos colocar uma data limite; em seguida passar a contar as vitórias segundo a segundo. Diga a si mesmo: por agora eu não vou fumar...  Exija vencer os minutos e chegarás a anos sem cigarro. Com o tempo a gente nem percebe mais a falta de cigarros e sobram minutos.
Aprendi naquele período que não podemos deixar que a mente viciada, tente nos enganar.Ela geralmente afirma com uma convicção que até assusta: - você não consegue!Até o dia em que a gente pergunta: quem manda em quem aqui?
Faço um esforço miserável para lembrar-me fumante; acho que até isso tirei da cabeça,depois de algum esforço consigo ver a cena; já que aconteceram muitas vezes:
-eu abandonando a mesa do jantar em família, furtivamente, para dar umast ragadas rápidas. Depois, fazendo um esforço, para escutar o que foi que disseram, sobre meu cigarrinho. Mas nesse ponto nem me esforço mais, não sou mais fumante mesmo!
Houve muito assunto sobre o tabagismo naquele período, era um prato feito para intermináveis aprofundamentos a respeito.  Com certeza voltarei a o assunto.
 
3087747758_cfe9d39d27[1]


Eu também concordo: essas fotos nunca me convenceram a parar de fumar, mas espero que sirva pra alguém. São  reais   
terça-feira, novembro 29, 2011

Ainda o mesmo diário…

Esse diário eu o distingui dos demais, como se o promovesse, já que o reservei como se fosse um cantinho especial; referindo-me novamente a comparação de cômodos interiores.

Houve momentos em que tive que recorrer a ele, antes dos demais afazeres, só para recuperar minha paz. Nesse diário não procurei só falar de amor, mas também de perdão, de dúvidas, de tormentos.

Sou tão ousada, que ouso pensar que Deus aceitou meu convite e continua a conversar comigo naquele lugar.

Vou colar mais uma oração de lá, quem sabe não serve de modelo para mais alguém. Eu posso adiantar que minhas orações tem feito milagre na minha vida. Desejo que faça também na sua.

 

Venha Espírito Santo

Desça sobre mim, como descem as águas das ribanceiras, depois de um mês de chuva ininterrupta.

Encharca-me, Abarca-me, Envolve-me completamente.

Lava-me e leva tudo que escorrer das paredes mofas do meu interior, pois são estas as coisas que me afastam de Deus.

Venha Espírito Santo, e ocupe os espaços livres, abertos e claros, que surgirem depois de sua visita. Ilumina ainda mais com seu brilho cristalino.

Quero dançar para Deus, com a alma e com os pés. Recria minhas cores e coloca teu arco de luz novamente sobre mim.

Dá-me de Tua força, para que eu não me afogue.

Prepara-me para o combate, pois tenho uma inimiga muito perigosa.

Eu mesma!

Santo Espírito, que eu não desfaleça quando a tormenta visitar-me.

Que eu não seja surpreendida, pela covardia, e só porque não tomei a devida atenção à Sua Presença.

Que Vossa Misericórdia me acompanhe todos os dias de minha vida.

 

Foto 15

segunda-feira, novembro 28, 2011

“Diário de Oração”.


Vou direto para um diário onde habita uma mulher apaixonada por Deus.  Diário de Oração”.
          

Ti amo de todo o meu coração                     

Como letra de música

Com notas de pianos

Coloco no palco instrumento de sopro

E deixo que os acordes te digam quanto é esse amor

Peço ao violino e aos músicos que me ajudem

Pois tudo o que eu quero dizer

Dou de cara, que já foi dito por alguém.

Não demora muito e estarei plagiando

Então peço ao poeta

Que me ajude e encontre uma frase nova

Que consiga dizer ao meu amado

O quanto o amo de todo o meu coração.
 

Pensei em dizer:

Não consigo mais viver sem você;

Não passo um dia si quer sem pensar em você;

Fui arrebatada por você.

Como um imã você me atraiu

Agora passo os dias esperando por você

Se você se atrasa, fico imaginando coisas.

Quando passeio por meu coração sempre encontro você

E se não o encontro...

Pronto! Já começo a imaginar coisas.

Mas em questão de minutos descubro

Você só estava coberto de entulhos


E reparei que minha declaração de amor estava com cara de letra de samba

Por isso entreguei-me aos cuidados dos anjos da música.

E quem sabe eles não criem notas novas, nessas frases antigas de amor.

Não esqueça nunca que Eu Ti Amo, como nunca amei alguém.

 Beijos Amado Jesus.


domingo, novembro 27, 2011

Continuidade…

Quando meus filhos eram pequenos, eu vivia mais perdida que bala em tiroteio. Acho que não poucas mães se sentem assim.

Conforme foram crescendo, fui entendendo-os, fui respeitando-os como pessoas.

Hoje vejo que a minha dificuldade teria sido menor se os tivesse tratado sempre como pessoas que são.

Mais um escrito Confidencial

Às vezes os escritos desse diário, podem ser ácidos, mas também uterino.

Estrelas

 

Se eu pudesse recolheria as estrelas mais coloridas e brilhantes do céu, e faria uma grande surpresa aos meus filhos.

As sopraria sobre eles e ficaria olhando a carinha de surpresa ao receberem estrelas de presentes.

Não pararia de soprar lhes, até que as estrelas estivessem presas em seus cabelos, rostos e mãos.

Meus filhos são mais belos que as estrelas.

São chuvas de luz

Raios de sol

Bênçãos de Deus.

sábado, novembro 26, 2011

Mudando o diário

O que poderia ter sido um dia só de queixas e lamúrias consegui mudar, porque desejei mudanças. Confesso não me recordar bem dos acontecimentos, e acho que isso não tem a menor importância. Se recordasse às contrariedades, não teria valido a pena o esforço daquele dia para apagar.

Vou deixar agora o “olhar diferente”, pois quero apresentar o “Diário Confidencial”, por sorte expliquei sua criação, já na primeira folha.

Talvez não devesse deixar escritos tão pessoais em um note book; local de fácil acesso, mas como não tenho nada a esconder e, esse note é meu, é o mais indicado. Os motivos que me fizeram optar, por escrever tudo o que venho vivenciando (cerca de três a quatro anos), foi à necessidade de esvaziar-me. Para não perder parte de mim, customizei.

Corrigia outro diário, que havia sonhado fosse livro; de uma mulher de pseudônimo “empresária”. Enquanto relia, (coisa que detesto fazer), dei de cara com o relato do Japão. Ao rever a parte das dores musculares, devidas ao cansaço natural do corpo, misturado ao cansaço da alma, até as senti na espinha...

- Trabalhos demais; saudade insuportável, superação diária; abandono da própria cultura, e muito mais...

Quantos contrastes tiveram que ser enfrentados, para que eu estivesse agora aqui. A pergunta que não me abandonou foi esta: “E ai valeu a pena?” E foi para responder a esta indagação que resolvi abrir mais um diário. Afinal de contas, elas são atualíssimas e aquelas já fazem parte do passado.

Vou abrir esse novo diário para colocar nele o mais íntimo de mim. Não que os outros não sejam assim, mas neles gosto de falar a respeito de tudo e nesse quero falar sobre minha alma: - suas dores e alegrias. Desnudar-me inteiramente, como se chegasse cansada e com calor da rua e assim que abrisse a porta, já começasse a arrancar a roupa colada e chegasse nua ao banheiro.

Para libertar-me integralmente farei considerações favoráveis e desfavoráveis de um ano no Japão...

E dei continuidade falando a respeito da Terra do Sol nascente, mas como farei menção depois, não vou esticar e nem confidenciar o assunto. O que me chamou atenção é o fato de que informo serem fatos atualíssimos... Não existe isso, no tempo. Não sei nem mais quantos anos se passaram. Esse diário é sem dúvida alguma o mais irado.

 

osaka 011

OSAKA – JAPÃO

sexta-feira, novembro 25, 2011

Atual

Provavelmente vou escolher ao acaso as folhas, mas nesse caso, fiz questão dos escritos de abertura.

Nem vou entrar em detalhes, a respeito do amor a que me referi, pois se não foi importante relatar naquele dia, não o é agora.

Se o escolhi foi por dizer que fui revirada, revolucionada e abalada em minhas estruturas.

Mas, “um olhar diferente”, não tratará só de assuntos do coração, ele falará dos mais variados sentimentos e qual o seu desdobramento  e consequências.

Cada coisa que ali deitei, analisei antes com muita atenção. Procurei entender todas as sensações embutidas.

Procurei frases de outros que tivessem vivido as mesmas coisas que eu vivia naquele momento.

Observei parábolas, ditos populares, provérbios. Analisei as frases dos santos, dos pacíficos, dos filósofos, e até testemunhos de pessoas que haviam vivenciado o mesmo que eu.

Queria copiar, plagiar, entender e acima de tudo, resolver inteligentemente meus questionamentos.

Exemplificando, vou colar mais um texto que corrobora minha fala:

Falando dos outros... Diz um provérbio irlandês: “Quando você está certo, ninguém se lembra; quando estás errado, ninguém esquece”. Achei esse provérbio apropriado para o ocorrido. Esta é a beleza da palavra pronunciada e registrada. Ela se atualiza constantemente, é nos servimos dela como de uma coberta. Vestimos as, como se roupas fossem.

Por exemplo: o provérbio acima nasceu de uma só pessoa. Com certeza ela deve ter experimentando o sentimento descrito. Com o passar dos tempos, outras pessoas foram sentindo o mesmo e ele se tornou proverbial. E agora aqui no Brasil, contato a validade em minha vida.

Aproveito a oportunidade e aproprio-me também das palavras de Herman Hesse “Quem quiser nascer, tem de destruir um mundo”. Tenho feito assim e é por isso que não posso esperar aplausos. Enquanto tento acertar, tenho cometido muitos erros. E quem poderá esquecer? 

Tudo é crescimento. Não existe acaso. O acaso é ter gente ainda acreditando em acasos! E na verdade não importa acreditar ou não nos acasos da vida, o que precisamos fazer é ir atrás dos nossos sonhos. Usurpar o que está ao alcance de nossas mãos. E falo aqui sobre o apropriar-se dos ensinamentos que estão pelo ar.

Não quero fazer nada porque disseram que era o jeito certo e exato de fazer, quero arriscar e testar também do meu jeito, mas sem desprezar ou desperdiçar boas orientações.

“A vida é uma pedra de amolar: desgasta-nos, conforme o metal de que somos feitos” (George Bernard Shaw).

Diário - “Um Olhar Diferente”

 

BOM DIA,

 

O amor é atrevido. Se tivesse evitado dar os dois toques na porta, talvez minha vida não tivesse mudado tanto e a tal ponto.

Quando a porta se abriu, a impetuosa e atrevida mente cochichou: O amor apareceu! O corpo obediente respondeu: Deixa que eu aviso o resto do pessoal. Deu um chacoalho no sangue e mandou-o alardear que o amor tinha surgido.

Cada órgão ao receber a noticia diretamente do sangue, nem cogitou a hipótese de que ele estivesse enganado.

O coração? Aquele (coitadinho) fora tocado primeiro, ou na mesma hora que a mente. E de uma hora para a outra, começou a agir como se estivesse totalmente embriagado e nem batia, palpitava. Naquele exato instante consentiu realizar de bom coração, qualquer coisa que a mente decidisse fazer. Sem compostura alguma a mente passou a comandar tudo, já que tinha carta branca do coração.

Os planos de conquista foram demarcados ali mesmo. Os olhos obedeceram rapidamente e brilharam intensamente, dentro dos olhos do ser amado.

A pele passou a liberar o perfume da conquista.

Os braços se soltaram e dançaram num balé mágico, enquanto se estendia para a devida apresentação.

Os pés o acompanharam no ritmo, e o perigo passou a bailar. Os pés adentraram pela porta, e sem nenhuma compostura, entrou dançando. O tolo tinha pressa, já que o sangue agitava suas veias.

Nenhuma parte do corpo parou para indagar assim: “Que droga é essa”? O que está acontecendo? Nem mesmo os músculos se manifestaram, e eles poderiam travar todo e qualquer movimento.

Que pena não ter tido ao menos um órgão do meu corpo com maturidade suficiente e bom senso para brecar o cérebro; o coração; o sangue; os braços, as pernas e hoje tudo seria diferente. Pois aquele amor bagunçou toda a minha pacata vida.

O amor, mesmo o que não é correspondido, tem a força de revirar a gente por dentro e por fora. Com certeza, nos tornamos melhor depois de o experimentarmos. Nunca mais voltaremos a ser como éramos antes. Já que revoluciona e tira do lugar todas as estruturas.

Acabo de reparar na injustiça, que estou cometendo: Tenho que agradecer ao meu corpo, e a todo o meu ser, por ter  batido na porta do amor, pois hoje sou muito melhor do que eu era.

quinta-feira, novembro 24, 2011

A BUSCA DO EU

 

 

 

DSCN2418

 

Resolvi passear pelos muitos diários, pois quero conhecer melhor a pessoa que ali escreveu. Sei que vou deparar-me com mulheres que eu não ousaria supor morasse dentro de mim. Eu poderia ter feito um único diário, e ter ido com ele até os dias atuais, porem, senti necessidade de abrir um para cada determinado assunto, ou momento vivido. E se tornaram tantos que resolvi abrir, mais um, só para tentar socar todos dentro, ou melhor, guardar aquilo que pudesse ter valia mais tarde. E assim nasceu “A Busca do Eu”.

Um amigo tomando conhecimento do meu projeto resolveu abrir um site para essa finalidade, (na pagina 82 apresentei o assunto), só que depois de raciocinar bem, acabei optando por postar tudo aqui mesmo no blog “mulheres em transito”. Assim não haverá grandes mudanças em minha rotina diária, já costumo escrever para essa página e me sinto totalmente em casa.

Vou apenas repaginar, para iniciar o novo ciclo e acrescentarei o subtítulo “A Busca do Eu”.

Há alguns anos tenho escrito diários, e mais a frente citarei quantos são. Foram gastas muitas horas, em seu feitio, alguns assuntos foram abordados, enquanto acontecia, por isso mesmo é possível sentir até o clima no ar. Alguns assuntos foram abordados com a única intenção de me dar animo e me encorajar a não perder a fé, e deram resultados, pois chego aos dias atuais como uma nova criatura.

Antes da travessia para determinados acontecimentos importantes, eu criava em letras, e elas se transformavam em maquetes, era muito mais fácil avaliar algumas situações tendo-as em mãos. Isso me trazia calma e estabilidade. Como se eu olhasse de fora, ou de cima a situação. Não raras vezes encontrei a resposta enquanto escrevia. Alguns escritos depois que os exprimi, serviram-me de mapa, pois me indicaram a direção.

Aprendi enquanto escrevia. E aprendi mais, do que aprendera durante todos esses anos de minha vida, isso eu posso garantir. Quero aproveitar e garantir a eficácia dos diários, e ouso até dizer: - eles podem nos curar.

Iniciei falando de várias mulheres morando em mim, e quero explicar que, morar, foi outra tática curativa que desenvolvi. Pode até parecer coisa de pessoa sofrendo de múltiplas personalidades, mas é mais simples que isso. Separei os diários como se fossem cômodos em minha casa interior. Coloquei muitos quartos, e diversas salas. Em cada área dessas peças da casa, coloquei jardins separando-os uns dos outros. Até as peças decorativas dependem do meu humor, ou comentário daquele dia. Cada salão, portanto, é como se fosse um compartimento secreto, onde repouso o sentimento do momento.

Com esse novíssimo diário aqui, já que nessas alturas já foi remodelado, pois meu amigo Neto, Web Designer dos bons virá amanhã, e como estou escrevendo, como quem já vai postar isso é um sinal de que já foi mudado seu perfil. E eu ainda nem vi... Assim é o mistério da escrita, parece até magia, pois você do outro lado já conhece.

Caros amigos leitores (sempre quis dizer isso), (acho o maior charme), pois então nesse momento transformo essa sala de visita e extensão da minha casa. Coloco um jardim, pois toda casa que se presta deve ter um jardim secreto, e assim depositarei o meu eu por aqui. Espero que isso me sirva para arejar de vez minha casa interior. E já que estou na fase de esperar, aproveito e espero que muitos amigos experimentem o que sinto hoje. Eu dou o nome de Paz, e ela surgiu após a minha invenção de diários. Quem sabe não publiquemos livros diários. Decida-se a escrever diários e depois compartilhe comigo o resultado da sua cura.

Responderei perguntas e comentários, só não responderei a grosserias e baixo nível, por questão de princípios.

Quero deixar um penúltimo aviso: Não tenho um revisor, e embora me esforce ao máximo, cometo muitos erros de pontuação, concordância pronominal, e diz meu irmão que talvez se deva a influência do Sul em fazer uso da segunda pessoa, seja como for adianto o pedido de desculpas.

Bom dia a todos

Sejam bem vindos e podem entrar...

segunda-feira, novembro 21, 2011

Vem por ai mudanças

Daqui a alguns dias quero mudar tudo por aqui. Para isso estou arrastando alguns móveis daqui e dali,  e trocando as cortinas, sofás, almofadas. Estou dando uma redecorada na casa. Quero mudar até a cor das paredes. Mudança boa, é aquela que mexe geral.

 Bjus e me aguardem...
quinta-feira, novembro 10, 2011

Quem sabe as respostas estejam nas estrelas.



 Que lastima tanta gente cabisbaixa, tentando tirar leite de pedras. Se olhassem para cima, veriam multidão de estrelas. E teriam a sensação de milhares de possibilidades que elas transmitem.

Que desperdício sofrer, quando há tanta luz lá fora.

Igual a crianças deveríamos voltar ao hábito de pedir coisas para as estrelas. E ter no coração, aquela confiança inocente de que ela ouviu e atendeu.

Acreditar!  Porque não?  Que são Fadas Madrinhas...

Perdemos a graça da brincadeira. Com certeza é mais divertido acreditar em estrelas do que ficar cá embaixo emburrado.

Tenho uma certeza dentro do meu coração; e acho que isso também se deve à intimidade que temos, de que, sendo nossos pedidos justos, as próprias estrelas se encarregarão de realizá-los.

Alguns aborígenes acreditavam serem as estrelas portais. Entrada e saída da terra.  O que sei mesmo é que, acreditar que elas costumam realizar meus pedidos, tem feito muita diferença, nessa minha longa caminhada da vida...
Eu indico...

terça-feira, novembro 08, 2011

Os homens

Tão meninos e com ares de grandes senhores
Tocam com cuidado as mãos de suas amadas
E se sentem prontos para alcançar a plenitude
se essa lhe sorri
Homens tão garotos, sentindo-se feliz ou em dor
Dependendo da palavra proferida pela ultima mulher vista
Mulheres não se esqueçam de que sol e lua
Luz e trevas muitas vezes estão na palma de suas mãos...
sexta-feira, novembro 04, 2011

Foi assim



            Foi me perdendo que consegui me encontrar.
            Foi me traindo que aprendi a ser fiel.
            Foi rasgando meus estatutos e normas que aprovei coisas novas para a minha vida.
            Foi de repente, sem formalizações, e instituições de mudanças, que elas aconteceram.
            Hoje vivencio novos tempos.
            Tempo de costurar.
            E que venham as novidades, pois me sinto preparada para recebê-las.
terça-feira, novembro 01, 2011

Pra não dizer que não falei da lua


            O amor passou por mim.
            E eu que o busquei tanto
Resolvi partir.
            Fugir
            Escolhi seguir
E descobri,
Nunca mais andei só,
Por isso eu tenho uma absurda sensação.
De que o amor não me abandonou
Ele caminha comigo.
Como lua em dia claro...
Num céu de carneirinhos.
Tecnologia do Blogger.
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

Total de visualizações

About Me

Minha foto
Mulheres em Trânsito
Sou alguem que aprendeu enfim a penetrar na profundidade do meu eu. Tenho descoberto diversos tesouros escondidos Coisas que quis ser e não fui. Como ainda respiro, provando estar viva, vou ser o que quero ser. Não sei se isso explica quem sou eu. Pois nem que eu usasse os 1200 caracteres permitidos, conseguiria dizer quem sou eu. Sou criança ainda estou aprendendo.
Visualizar meu perfil completo

Minha lista de blogs

Seguidores